Muitas e muitas atividades escolares para professores e alunos.

A

quinta-feira, 21 de abril de 2016

A carta e o índio - Interpretação textual e trabalho com cartas

A carta e o índio


    Um fazendeiro incumbiu a um índio, ainda não de todo civilizado que fosse levar dez
belas  frutas  a um amigo. Sobre elas colocou uma carta.
     No caminho o índio teve vontade de comer uma das frutas. E não se conteve: comeu-a!
     Ao receber o presente, o amigo do fazendeiro disse ao índio:
    __ Você comeu uma das frutas?
    __ Eu?
    __ Sim. Está faltando uma.
   ­ __ Como é que o senhor sabe?
    __ Ora, essa! Pela carta.
    O índio não tinha a menor ideia de como a gente pode registrar as ideias pela escrita, e
desse modo transmiti-las aos outros.
    Por isso, olhou com admiração a folha de papel que o outro lhe exibia e disse:
  __ Ah! Isso conta o que a gente faz?... Eu não sabia!
     Uma semana depois, o índio foi de novo encarregado de levar um cesto de frutas ao
mesmo homem. Levava também uma carta.
     No meio do caminho, pousou a cesta no chão e, pegando na carta, disse:
     __ Deixe estar, bicho mexeriqueiro, contador do que a gente faz! Agora você não há de
ver o que vou fazer para contar aos outros!
      Dito isto, sentou-se sobre o envelope. Comeu três das frutas e atirou longe as cascas e
os caroços. Então, levantou-se, pôs a carta no lugar e continuou no caminho.
Mas coitado! Mal chega a casa do amigo do fazendeiro, o mesmo lhe pergunta:
  __ Então... estavam boas as frutas?
  __ Não sei, não senhor!
  __ Como, não sabe?... Pois comeu três delas?
Vendo-se apanhado em falta, o índio muito sem jeito, confessou:
­ __ Comi, sim senhor. O senhor me desculpe... Mas... eu só queria saber como foi que o
senhor descobriu...
 ­__ ­­­ É boa! Pela carta!
 __ Não pode ser, não senhor! Está brincando comigo, porque desta vez eu me sentei em
cima dela e ela não viu nada...
     O homem sorriu daquela simplicidade, e o índio pôs-se a pensar no caso. Embora não
compreendendo  tudo perfeitamente começou a perceber que os sinais escritos deviam servir
para transmitir um recado.
VIANA, Francisco – adaptação de Altino Martinez. Leitura Teatralizada. São Paulo: Ed. Clássico Científica, p. 67-
1 – Assinale as alternativas corretas.

(    ) O índio era sagaz e por isso comeu as frutas.
(    ) O homem entendeu a ingenuidade do índio e ficou pensando sobre o que a carta dizia.
(    ) O índio estava convicto de que, sentando sob a carta, não teria problemas.

2  - Após a leitura da narrativa pode-se concluir que:

(   )  A perspicácia é fundamental para a convivência humana.
(   )  A falta de conhecimento pode trazer dificuldades em nossa vida.
(   )  A ingenuidade é uma característica dos índios.
(   )  O instinto da gula é natural aos não-civilizados.
(   )   É preciso julgar as pessoas a quem você dá tarefas importantes.


3  - “Deixe estar, bicho mexeriqueiro...” O sinônimo da palavra destacada é:

(   )   intrigueiro
(   )    altaneiro
(   )    alcoviteiro
(   )    hospitaleiro
(   )     empreiteiro


4  - Indique o par de sinônimos que está incorreto, de acordo com seu significado no texto:

(   )    admiração=espanto
(   )    pousou= pôs
(   )    apanhado=tonto de pancadas
(   )    conteve= dominou
(   )    simplicidade= ingenuidade


5  - “E não se conteve: comeu-a!” A quem se refere o termo destacado:

(   )    à carta
(   )    às frutas
(   )    à gula
(   )    à vontade de experimentar as frutas
(   )    a uma das frutas


6  - “...longe as caSCas...” Qual das alternativas apresenta todas as palavras com o mesmo som  usado na palavra sublinhada:

(   )    nascer- pescar-acréscimo
(   )    ascender- piscina - escrever
(   )    disciplina- frescor -fascinar
(   )    pescar- frescor- rascunho
(   )    plebiscito- crescer -rascunho


7  - “...gente pode registrar...” Das alternativas abaixo, qual palavra está grafada incorretamente  quanto ao uso da letra G:

(   )    contágio
(   )    sargeta
(   )    hegemonia
(   )    rabugento
(   )    algema


8  - “...pousou a cesta no chão...” Além de CESTA, ainda temos SEXTA e SESTA, palavras com  sons semelhantes aos do termo destacado mas com escritas e significados diferentes. Em  qual das frases uma das palavras anteriormente citadas está sendo usada erroneamente:

(   )    O caboclo trouxe a cesta vazia.
(   )    A sexta menina da segunda fila é a filha do diretor.
(   )    Vovô sempre tirava a sexta antes de contar uma de suas histórias.
(   )    O sino badalava sempre à hora sexta.
(   )    Michael Jordan fez muitas cestas nos jogos da liga americana de basquete.


9  - Use V- verdadeiro e F- falso:

(    ) ÍNDIO- palavra paroxítona.
(   ) IDEIAS- palavra proparoxítona.
(   ) ADMIRAÇÃO- palavra oxítona.
(   )COITADO- palavra paroxítona.


10  - “E não se conteve: comeu-a!” Nesta expressão  os dois pontos têm a função de:

(   )    separar orações.
(   )    indicar uma interrogação.
(   )    anunciar a fala de um personagem.
(   )    antecipar uma citação.
(   )    introduzir um esclarecimento.









3 comentários:

Eliana zamboni disse...

amei a atividade

Carol disse...

Obrigada Eliana Zamboni

Unknown disse...

Muito legal, recordei que essa historia era do meu livro do quarto ano no ensino fundamental..saudades... agora vou trabalhar com meus alunos...

Postar um comentário

B